Luto: O processo de cura da Dependência Química

Data de publicação: 25/01/2018 Luto: O processo de cura da Dependência Química

Admitir a impotência significa admitir a derrota, a perda. Por outro lado, toda perda traz um estado de luto, seja em maior ou em menor intensidade.

No caso dos dependentes em tratamento, perde-se o vício, que representa um estilo de vida ou mesmo um amigo que lhe acompanhou durante certo tempo. Todavia, o luto é uma resposta saudável a uma situação difícil.

É preciso que se passe por essa fase para que, então, o indivíduo encontre a serenidade e a paz de espírito. É comum passar pelo luto; o que não pode ocorrer é ficar preso em uma de suas fases.

 

Quais são as fases do Luto?

O Luto possui cinco fases: negação, raiva, dor/desespero/depressão, negociação e aceitação. E embora não seja considerado uma fase, o medo está presente em todas.

 

  • Raiva

A falta de controle gera a ira. Sentir raiva pode ser saudável quando acontece um fato que não se queria nem se esperava. Porém, nutrir este sentimento por muito tempo se torna prejudicial. Pode conduzir à violência ou se transformar num ressentimento amargo. A recaída, portanto, é uma armadilha fácil.

 

  • Dor/Desespero/Depressão

O choro ajuda a exprimir o que se sente. A dor sentida quando um amigo morre é equivalente à dor de quando se abandona o vício. Com a dor, vem o desespero – surgem sentimentos de solidão e desesperança. O indivíduo pode sentir muita pena de si mesmo nessa fase e, então, pode ter uma recaída.

Esse é o lado negativo da dor. Quando excessiva, transforma-se em depressão – a qual pode levar a pensamentos suicidas. A ajuda profissional, aqui, é sempre recomendável. Chorar é saudável – limpa a alma. É um sinal de força e não de fraqueza.

 

  • Negociação

Nesta fase a pessoa tenta aliviar sua dor e começa a fazer algumas ponderações, imaginando possíveis soluções e fazendo “acordos” internos. Essa negociação acontece dentro da própria pessoa e, muitas vezes, é voltada para questões religiosas.

 

  • Aceitação

Durante essa fase a pessoa consegue ter uma visão mais realista e passa aceitar o fato. O desespero em relação a perda dá lugar para uma maior serenidade, e o indivíduo começa a enfrentar o tratamento com mais consciência.

 

Saiba Que:

As pessoas não passam por essas fases de maneira linear, ou seja, elas podem superar uma fase, mas, depois, retornar a ela, estacionar em uma delas sem ter avanços por um longo período ou ainda suplantar todas as fases rapidamente até a aceitação. Não há regra. Porém, sabe-se que, comumente, a fase mais longa é da depressão para a aceitação.

Sobre o autor

Sou filho atencioso, esposo apaixonado, pai dedicado de dois filhos, graduado em marketing e pós graduando em gestão empresarial e em dependência química além de ser um psicanalista em formação e gestor do Grupo Recanto. Mas só por hoje...

Saiba mais