Como ocorre a negação em Dependência Química?

Data de publicação: 10/11/2017 Como ocorre a negação em Dependência Química?

A negação é uma espécie de defesa do ego. Mas, por assim, dizer, não é uma defesa do bem, por mais que possa ser usada para reduzir ou prevenir a ansiedade sob ameaças iminentes. Colocando de forma simplista, negação é fechar os olhos para os próprios demônios, enganar a si mesmo. Isso vale para coisas diversas, seja doença e até morte, assim como para sentimentos e problemas cotidianos.

Ao “se aproveitar” da negação, o indivíduo deixa de reconhecer a realidade. Um fenômeno que, em casos de alcoolismo e dependência química, pode levar à morte, já que eles “escondem” a dependência deles mesmos, por muito tempo. Embora a aceitação seja de fato um processo difícil, com variáveis para qualquer pessoa (inclusive as sem histórico de drogas), as drogas podem levar a um quadro crônico, uma vez que o julgamento do viciado é comprometido.

 

Quais São as fases da Negação?

A negação decorre de fracasso ou perda e é um dos maiores obstáculos iniciais a serem superados em qualquer tratamento. Isso porque nem todos os indivíduos que fazem uso e abuso de substâncias psicoativas reconhecem que têm um problema. Via de regra, a perda tem cinco fases:

 

  • NEGAÇÃO

Reação rápida e espontânea à perda, por meio de bloqueio mental; Você realmente não aceita que está acontecendo isto, nega e se isola: “Isso não pode estar acontecendo”. Ou então: “eu não sou alcoólatra, eu paro quando quiser”. Uso drogas “de vez em quando”, posso parar a qualquer momento (acontece que essas pessoas nunca conseguem parar).

 

  • RAIVA

Ao invés da pessoa aceitar o fato, ela apela para a raiva randomicamente, podendo “descontar” em alguém para transferir a culpa; “Por que está acontecendo isto comigo? Não é justo.

 

  • NEGOCIAÇÃO

Esta fase é como um embuste mental, um golpe. O indivíduo “negocia” com outra pessoa ou até com Deus. Acontece que as trocas nunca são reais. No fundo, estão mais para a procrastinação.

 

  • DEPRESSÃO

Apesar de ser um tempo de angústia e tristeza, é o ponto crucial de todo o processo de aceitação. Aqui há um sentimento de culpa por exemplo, por não ter sido suficientemente bom para o seu familiar e por ter sido permissivo iniciado nas drogas. Esta fase tem sintomas parecidos com o luto e pode durar dias, semanas ou até meses.

 

  • ACEITAÇÃO

Por um lado, vem com a serenidade de quem passa a lidar com a verdade. Por outro, com um sentimento de impotência, de não se ter aonde ir. Contudo, vem naturalmente (inclusive no caso do dependente químico) e, depois de um tempo, traz segurança e maturidade.

Se aceitar é mesmo difícil, mas lidar com demônios de maneira honesta será sempre melhor do que sentir pena de si mesmo.

 

Você sabia que a Negação também pode acometer os familiares de um Dependente Químico?

 

A negação geralmente aparece não apenas para usuário de álcool e/ ou outras drogas, mas aparece também na família, entre os amigos e até mesmo no ambiente de trabalho. Todos se negam a ver o problema e começam a inventar “desculpas” para o comportamento anti-social que o Dependente Químico passa a apresentar, não querem pensar na possibilidade de que o mesmo esteja fazendo uso de drogas.

É preciso ter a consciência de que a dependência química é uma doença e precisa ser tratada. Existe recuperação, mas para isto você deve buscá-la através de tratamento especializado.

 

Saiba quais são os Sintomas da Negação

 

  • Não aceitar a realidade;
  • Negar ou minimizar a perda;
  • Fuga mental, que pode se manifestar de diversas formas, seja com sono prolongado ou hiperatividade.

 

Feito o diagnóstico, a pessoa em negação ainda pode sentir desespero, solidão, ansiedade, culpa, medo ou apatia. Essas condições podem gerar mais transtornos mentais e doenças físicas. Então, é preciso de ajuda profissional, se informar sobre o assunto e respeitar as orientações.

O importante é parar de se torturar com este problema e buscar uma ajuda profissional. Não tente resolver sozinho(a) o que já não está mais sob o seu controle!

Sobre o autor

Sou filho atencioso, esposo apaixonado, pai dedicado de dois filhos, graduado em marketing e pós graduando em gestão empresarial e em dependência química além de ser um psicanalista em formação e gestor do Grupo Recanto. Mas só por hoje...

Saiba mais